Bali é uma pequena ilha da Indonésia com 4 milhões de habitantes que sobrevive, principalmente, de turismo. E por um bom motivo! Há muitas coisas bonitas e interessantes para se ver ao redor da ilha, desde as paisagens deslumbrantes até sua rica cultura. Em 2017, visitei a ilha com uma amiga e foi o meu primeiro contato com o continente asiático.

Os balineses são simpáticos e receptivos. Os funcionários da maioria dos estabelecimentos e hotéis falam inglês ou arriscam algumas palavras, o que facilita muito a comunicação. Estava um pouco preocupada com a segurança, mas Bali é tranquila. Ficamos em locais bem movimentados tanto de dia quanto à noite, com celulares e câmeras à vista, e não tivemos nenhum problema. Também vi várias viajantes solo, especialmente surfistas.

Roteiro para viajar a Bali com as amigas

O “roteiro” que seguimos é básico. O primeiro destino foi Seminyak, uma das praias mais populares. As pessoas geralmente vão para as baladinhas próximas à praia. Ficamos apenas um dia e já fomos para Ubud, centro cultural e histórico de Bali. Lá, tem feiras de artesanato, café com apresentações de teatro, museus, templos hindu, galerias, e a Floresta dos Macacos, um ponto turístico obrigatório, onde você pode interagir com macacos enquanto passeia por pequenos templos.

Depois, fomos para uma das três Ihas Gili. Muitos casais e grupos de amigos vão passar alguns dias lá por conta das festas, praias, massagens e passeios aquáticos. Todas as ilhas são bem pequenas. É possível pedalar ao redor delas em apenas um dia. Fizemos um passeio de snorkeling que passa pelas três ilhas. É um jeito legal de conhecer um pouco de tudo em apenas um dia.

Infelizmente, o mar é um pouco poluído com garrafas PET, embalagens de comida, papelão, entre outros objetos que são jogados na água sem consciência. Em contrapartida, os moradores procuram cuidar da vida marinha, especialmente das tartarugas. Talvez as coisas mudem daqui a alguns anos.

O último destino foi Kuta, conhecida pela vida noturna agitada. Fizemos compras e passeamos pela praia já que teríamos que pegar o voo no dia seguinte. Por essa região ter mais cara de “cidade grande”, há muitos shoppings. Recomendo para terminar a viagem com tranquilidade e comprar souvenirs para a família e amigos.

Os templos hinduístas são muito bonitos e é interessante ver como a religião é muito presente no cotidiano dos balineses. Eles seguem muitos rituais, como acender incensos para trazer boa sorte todas as manhãs e fazer oferendas para espantar energias negativas. Um dos meus templos favoritos é o Tirtha Empul, conhecido como “Templo da Água Benta”, um local para revitalizar a alma e o corpo.

Dicas para viajar com tranquilidade

Imagem: Natalia Souza / acervo pessoal

Fomos no começo de Fevereiro, época de tempestades tropicais, e só pegamos chuvas leves nos primeiros dias. Quando saí do avião, fui recebida por um ar quente que parecia grudar na pele. Algumas horas depois, comecei a ser picada por mosquitos famintos bem como acontece no Brasil. O vendedor de uma loja nos disse que aquele era o clima típico do inverno. Não quero nem imaginar como deve ser o verão…

Li em vários sites que turistas pagam mais caro por praticamente tudo em países como a Indonésia, Vietnã, Tailândia, entre outros. Pagamos por volta de US$ 30 para um dia inteiro de viagens de táxi para os pontos turísticos. Como estávamos em duas, ficou mais barato. Uma amiga japonesa que viaja sempre para lá me disse que é possível encontrar táxis por US$ 20 e US$ 10.

Mesmo que o preço não tenha afetado nosso orçamento para a viagem, deixo o alerta para que fique de olho nos preços. Procure companhias de táxis na internet ou vá até as lojas físicas, se possível. Peça sugestões de empresas para o pessoal do hotel. Nas ruas, há milhares de taxistas à espera de turistas. Negocie o preço sempre que possível. Em feiras de artesanato também. Os mesmos produtos podem ser encontrados em todos os lugares com preços parecidos. Compare antes de comprar.

Conhecer Bali foi um prazer. Apesar da distância do Brasil, é um destino bonito com pessoas felizes e amigáveis, como um pedacinho do paraíso na Terra. Para quem tem interesse no continente asiático, como eu, recomendo a viagem.

Faça um comentário