Por Caroline Itelvino*

Responda mentalmente, o que você já fez por você? Você já foi ao cinema sozinha? Ou na exposição que queria conhecer? Tirou um dia só para cuidar de si, ou simplesmente ficou em casa jogada no sofá e colocou em dia a leitura daquele livro que estava na estante? Na verdade, o que foi feito não é o foco deste texto, mas, sim, como você se sentiu consigo mesma nesse período. Afinal, você é uma boa companhia para si própria?

Quando pensamos no que somos capazes de fazer sozinhos, muitos respondem automaticamente “TUDO”, mas se essa resposta vem à tona com tanta facilidade, por que tantas pessoas ainda se “prendem” em algumas situações para não fazer o que querem, pois não possuem alguém para lhes fazer companhia?

“Solidão” e autoconhecimento

Um exemplo básico, e que ainda acontece muito, é quando há o planejamento de uma viagem! Viajar sozinha? Por que eu faria isso? Eu te respondo o por quê! Saiba que essa é uma das melhores formas de autoconhecimento que uma pessoa possa experimentar. Ao estar sozinho em um lugar que não seja o habitual, a sua visão de mundo e percepções mudam, as situações se transformam e o horizonte se expande em 360 graus.

Além de analisar as suas escolhas e trajetórias de uma forma diferente, percebe melhor as outras opções que o mundo te traz, e ainda descobre a sua capacidade de superar desafios que antes jamais imaginou que passaria. Falo isso como conhecedora de causa! Tive algumas experiências em minhas viagens que me fizeram superar meu medo de altura, além dos desafios domésticos que antes não tinha vivido (sim, eu era jovem na época), mas esses “causos” ficam para uma próxima, são histórias longas e engraçadas.

E o mais engraçado em tudo isso é que se você é tímida, sua timidez diminui, se não é boa em trajetos, aprende a ter noção de direção, se acha que não consegue escalar uma montanha, acredite, você escala! Viajar sozinha faz com que você se conheça melhor, e aprenda e se surpreenda ainda mais com o que você é, e o que é capaz!

Autossuperação: um caminho para o conhecimento sobre si mesma

O autoconhecimento é algo que as pessoas acreditam que já possuem, mas quando são colocadas em situações em que jamais viveram, AÍ SIM, você se descobre e começa a se surpreender com as suas próprias atitudes. Em uma viagem, por ser um local desconhecido do seu habitual e que as pessoas não te “julgam”, pois não sabem seu histórico de vida, é natural que você faça algumas escolhas com menos “pé atrás” que o normal.

E com essas atitudes, as suas características até então “escondidas”se sobressaem, e você realmente molda o seu ser. Aí você percebe a construção do indivíduo e sobre o autoconhecimento. Se autodescobrir, ver qual caminho quer seguir e continuar com a cabeça erguida é sensacional. A única coisa que eu tenho que deixar beeeeeeem claro é: nunca se prive de fazer algo que queira!

AME, CHORE, GRITE, DANCE, BEIJE, VIAJE, e o mais importante, SEJA FELIZ! E perceba a pessoa incrível que você é! Se descubra e se ame cada vez mais! Siga o seu caminho do descobrimento.

*Caroline Itelvino é jornalista e viajante. Siga ela no Instagram @meumundao_

Imagem; Caroline Itelvino / acervo pessoal

Faça um comentário