Há algum tempo escrevi, aqui no site, sobre o medo que eu sentia de ficar hospedada em quarto misto de hostel. No texto, contei uma experiência frustrada e prometi que iria compartilhar o andamento da situação com vocês. Pois bem, cá estou para contar o desfecho da história.

Já adianto: consegui lidar com o medo, mas como vocês podem ter percebido, usei a palavra “lidar” e não “superar”, pois ainda sinto certo receio. Só que o medo já não me controla mais.

Antes de contar como aprendi a lidar com o medo, quero deixar claro que vocês, queridas leitoras, que não se sentem confortáveis em ficar em quarto misto, não são obrigadas a nada. Ou seja, se preferem ficar em quarto feminino, fiquem. Afinal, o mais importante é se sentir bem.

Compartilho aqui minha experiência, pois lidar com o medo virou uma missão pessoal por motivos bem específicos: quartos mistos são mais baratos e eu fico revoltada quando o medo me impede de fazer algo. Sendo assim, relato minha experiência na esperança de ajudar outras mulheres que também querem lidar com isso.

Sem rodeios, como lidei com o medo de ficar em quarto misto de hostel

Dito as considerações iniciais, vamos ao que interessa. O medo, esse bichinho que tira nossa liberdade, foi controlado em Gramado . Lá troquei trabalho por hospedagem em um hostel e fiquei em um quarto misto. No começo, estava muito insegura. Várias coisas horríveis passaram na minha cabeça. Coisas como “E se esse cara me atacar durante a noite?”.

Contudo, identifiquei como algo que me ajudava a lidar com o medo o fato de haver outras mulheres no quarto. Eu pensava “Cara, se alguma coisa acontecer, ela vai me ajudar. Assim como eu a ajudaria”.

No entanto, chegou o momento fatídico: o dia que só haviam homens e nenhuma mulher, além de mim. Como eu já estava trabalhando no hostel há algum tempo, não me senti tão amedrontada. Por quê? Simples. Percebi que o medo está diretamente ligado com o desconhecido.

Como eu já conhecia os caras, isso me deu alguma “segurança”. Por isso, uma lição que tirei da experiência, foi: conheça as pessoas que estão no quarto. Converse com elas e crie amizade para que o medo não faça você criar teorias na cabeça e ainda fazer julgamentos.

Foi exatamente assim que eu aprendi a lidar com o medo de ficar em quarto misto. Não teve segredo. Nem muito menos uma grande história. Entretanto, isso me fez reafirmar o quanto é importante enfrentar meus medos e o quanto é essencial perceber que alguns são paranoias.

Separar o joio do trigo, como diria minha avó, é fundamental. Ou seja, identificar o que é real e o que não é real, pois isso facilita muito nossa jornada na estrada.

Agora conta aqui, você também aprendeu a lidar com o medo de ficar em quarto misto de hostel? Deixe nos comentários o relato da sua experiência e ajude outras manas.

Faça um comentário