Uns meses atrás eu e uma amiga minha, ambas professoras de inglês morando na China, decidimos curtir umas férias na Tailândia. Ao avistar uma vendedora ambulante numa tarde quente em Bangkok, essa minha amiga decidiu tomar um sorvete. Só que ela é vegana e, acostumada com a falta de desenvoltura na língua inglesa típica dos chineses, ela começou a falar com a ambulante em um inglês bem devagar e carregado de mímicas para acompanhar.

A vendedora olhou-a de forma estranha e depois explicou de forma bem clara que apesar de levar leite de coco, o sorvete também tinha leite de vaca, e a minha amiga caiu na gargalhada ao perceber que seus dias na Tailândia seriam bem mais fáceis que seus últimos meses na China. Esse episódio ilustra bem uma coisa que sempre me perguntam:

Mas dá para se virar com inglês no Sudeste Asiático? Sim! E como dá!

Países como Tailândia, Vietnam e Camboja, ainda que só tenham virado sonho de consumo dos brasileiros a relativamente pouco tempo, já fazem parte da rota de viajantes europeus e americanos a muitos anos. Por isso, há uma estrutura boa para receber os turistas e mão de obra apta a se comunicar em inglês é parte essencial desse quadro.

É bom lembrar que mesmo estando na mesma região cada um desses países possuem idiomas próprios e peculiaridades específicas de cada lugar. Então é preciso estar atento e levar tudo isso em consideração ao definir o seu roteiro de viagem. Vou explicar um pouco mais sobre alguns países.

De longe o mais fácil da Ásia! É claro que com o inglês como uma de suas línguas oficiais, e tendo sido por muitos anos colônia do Reino Unido, não poderia ser diferente. Todas as pessoas que você encontrar são capazes de se comunicar em inglês e é bem fácil compreende-los. Além disso, placas de sinalização e cardápios também estão escritos no idioma.

  • Malásia

A vida do viajante anglófono também não é das mais difíceis na Malásia. O país possui duas línguas oficiais: malaio e inglês. Pelo menos em cidades mais turísticas, é fácil se comunicar com os locais. Por causa de um fluxo grande de imigrantes indianos e chineses, talvez você acabe se deparando com sotaques mais carregados que o de costume, mas nada que te impeça de entender a conversa e ser entendido.

Placa com explicações em inglês no Parque das Aves em Kuala Lumpur, e um pelicano muito desconfiado

  • Laos

Confesso que no Laos a vida não foi tão fácil assim, mas nada que chegue a assustar. Os cardápios nos restaurantes costumam ser em inglês e possuem fotos. Então dá para se virar apontando o que você quer. Nas hospedagens, há sempre alguém que fale o mínimo para fazer o seu check-in e dar alguma informação.

  • Camboja

Um lugar que me surpreendeu. Visitei apenas lugares bem turísticos e pelo menos nessas áreas foi bem fácil se comunicar em inglês. Também há muitos estabelecimentos abertos por estrangeiros, o que aumenta as suas chances de ter algum falante de inglês no local. E para quem manja de francês, o Camboja foi uma colônia francesa e ainda hoje é comum encontrar placas de informação em francês ou serviços para turistas que atendem nessa língua.

  • Vietnam

Não vou mentir, o sotaque é um pouco carregado e eles falam bem rápido, mas não é impossível de entender. Praticamente todas as pessoas que têm contato com turistas sabem alguma coisa de inglês (nem que sejam só números para negociar o preço de algo com você). E como a língua local é bem complicada, acho bem mais fácil de esforçar para entender o inglês deles.

Que tal ter seu nome escrito num grão de arroz como lembrança do Vietnam?

  • Tailândia

No quesito infraestrutura turística, a Tailândia é campeã no Sudeste Asiático e isso fica claro também na facilidade de se comunicar em inglês. Tem um sotaque carregado sim, mas faz parte do charme local (pelo menos na minha nada isenta opinião). Uma coisa que sempre me chama atenção é, mesmo com muita gente falando inglês (do garçom até a vendedora ambulante), taxistas fogem da regra e é difícil achar um que se comunique bem.

  • Filipinas

Na minha opinião, as Filipinas são o segundo país mais fácil de se comunicar em inglês no Sudeste Asiático, perdendo só para Singapura. A língua inglesa é uma das línguas oficiais, junto com o filipino (a forma padrão do tagalog), por isso é muito fácil se comunicar e todas as placas e cardápios estão em inglês. E para facilitar ainda mais, o povo filipino é muito simpático e adora puxar um papo!

Como deu para perceber, o nível de proficiência na língua inglesa varia muito de um país para o outro, mas isso não deveria ser um empecilho para a sua viagem. Lembre-se que para tudo dá-se um jeito e que, na pior das hipóteses, apelar para mímicas e aplicativos de tradução não irão ferir a sua dignidade. E para quem já viajou para os países citados acima e achou o inglês dos locais muito ruim, deixo aqui uma sugestão: que tal conhecer a China?

Curtiu saber mais sobre como se virar com inglês no Sudeste Asiático? Curta nossa página do Facebook e fique por dentro de outras dicas

Faça um comentário