Fazer um mochilão sem falar inglês? Quando comecei a viajar, esta era uma dúvida frequente. Fiz curso de inglês na adolescência e, mesmo assim, tinha receio de usá-lo com nativos ou pessoas desconhecidas. O meu conhecimento da gramática já estava todo enferrujado e o meu vocabulário era limitadíssimo.

Felizmente, logo descobri algo muito legal: as pessoas hoje estão muito mais acostumadas com turistas do que antigamente, ou seja, elas têm mais paciência com quem não fala o idioma local ou sabe inglês.

Saber inglês, mesmo que apenas o básico, torna sua viagem mais fácil, mas não necessariamente mais prazerosa. Por um lado, você consegue se comunicar com funcionários da hospedagem e dos transportes públicos, dos restaurantes e atrações turísticas, além de conseguir informações básicas sobre os destinos.

É também bom ter conhecimento do idioma para evitar perrengues e ciladas de turistas, como fechar um passeio mais caro ou comprar souvenirs com preços muito acima do normal.

Por isso, recomendo ter conhecimento básico do idioma. Hoje há milhares de maneiras gratuitas ou de baixo custo para aprender inglês online. Há vídeos no Youtube de professores nativos ensinando o básico e aplicativos para facilitar o aprendizado. Vale a pena aprender algumas frases prontas, não é? Prometo que o investimento irá facilitar muito a sua vida!

Não tenho tempo para aprender inglês e agora?

Calma!

Muitos viajantes pensam que saber inglês é essencial para viajar. É, de fato, muito útil, mas não é garantia para a melhor viagem do mundo. Felizmente, o mundo está mais conectado e as pessoas um pouco mais abertas aos turistas estrangeiros.

Pode ser um pouco mais complicado não saber nada de inglês, mas, com esforço e paciência, tudo é possível. Compartilho algumas dicas que utilizei em minhas viagens. Lembrando que cada pessoa tem seu próprio método. Então, é uma questão de tentativa e erro para encontrar qual é a melhor opção para você.

Aplicativos

Escreva frases prontas, palavras, endereços e nomes de locais em aplicativos como Google Keep ou Evernote. Quando precisar, é só mostrar o que está escrito ou arriscar pronunciá-los. Já passei por situações em que a pessoa não entendia nada do meu sotaque. Então, tenha em mente que, se não soa nada certo para você, provavelmente, soará ainda mais estranho para quem ouve.

Use o Google Maps – ou aplicativos de GPS no geral – para ver o horário e preço de transportes públicos, além da localização. O Google Translate ajuda muito na tradução de menus, placas e avisos. Basta tirar uma foto com o aplicativo. A tradução não é a mais correta dependendo da complexidade da frase, mas já é uma boa ajuda.

Linguagem corporal

Faça mímicas e gesticule para o que você quer. Não tenha vergonha! Milhares de pessoas fazem o mesmo ao redor do mundo. Você vai se surpreender como o quão fácil é se comunicar sem usar palavras. Às vezes, um sorriso, paciência e boa educação têm a mesma eficácia.

Planejamento

Leia bastante sobre os destinos e experiências de outros viajantes antes de embarcar para evitar surpresas desagradáveis. Saiba aonde você quer ir, tanto o nome do local quanto endereço, e o que quer fazer. Ter um planejamento básico da sua viagem torna o percurso mais fácil mesmo que você não o siga totalmente.

Guias de viagem

Procure guias da cidade com passeios turísticos e os locais mais visitados. Alguns hotéis e aeroportos disponibilizam uma variedade de guias com informações úteis. Mesmo que você não consiga lê-los, saberá nomes e endereços. Também existe a opção do ­e-book. Com o aplicativo do Kindle, leitor de livros digitais da Amazon, fica fácil carregá-los no celular.

No fim da história, nem todo mundo fala inglês

Se você pretende fazer mochilão na Europa, na América Latina ou na Ásia, encontrará poucas pessoas que falam o inglês. Quando viajei ao Japão, apenas conversei com pessoas da indústria do turismo. Passei o resto da viagem sorrindo, fazendo reverência e mímicas e arriscando algumas palavras em japonês.

Você também pode ter contato com pessoas que até sabem inglês, mas só querem falar o idioma local. Já ouvi muitas histórias de viajantes e amigos que passaram por isso em países europeus. Saber o idioma não adianta nada nesta situação.

Saber lidar com as pessoas, ter bom senso e ser flexível são características mais importantes para um viajante do que ter conhecimento de vários idiomas. Não subestime o poder da linguagem corporal e não deixe de pesquisar muito antes da viagem para que você possa aproveitar cada minuto sem estresse ou momentos desagradáveis.

Conclusão: é possível fazer mochilão sem falar inglês? Sim, mas com um bom planejamento e paciência.


Faça um comentário