Durante minha curta passagem pelo México, tive a chance de contemplar o Desfile de Día de Muertos, na Cidade do México. Sinceramente, não sabia nada sobre essa linda celebração. É claro que eu sabia que ela existia, mas jamais tinha me aprofundado sobre o assunto.

No entanto, estando no país durante a época da celebração, foi impossível não se sentir curiosa para saber mais. Fiquei curiosíssima, pois caminhando pelas ruas, eu via muitas cores. Acostumada a assimilar morte com ausência de cores vibrantes, achei tudo muito interessante.

Na época, as avenidas principais da Cidade do México ganharam vida com flores laranjas, conhecidas como Crisântemos, que foram colocadas pelo governo. Descobri depois que essas flores são as que os mexicanos colocam nas tumbas dos mortos.

Por todo lugar que eu passava, havia decoração com caveiras. No hostel que fiquei hospedada, por exemplo, foi montado um altar com as fotos dos mortos, flores, caveiras catrinas, etc.

O mais curioso de tudo isso é que não havia nada de triste pela chegada da data. Pelo o que eu entendi, a morte para eles é, obviamente, algo doloroso, mas é só mais uma das etapas da vida. Por isso, não há tabu, não há silêncio. Há apenas alegria por mais uma etapa da vida ser concluída.

Misticismo e história: o Dia dos Mortos no México

Imagem: Secretaría de Cultura CDMX

Curiosa para entender tudo o que tinha visto, fui pesquisar sobre o assunto. Descobri que o “Día de los Muertos” é uma das celebrações mais importantes da cultura mexicana. Prova disso é que a festa é considerada pela Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial.

Sua origem é anterior à chegada dos espanhóis. Há evidências da celebração entre os povos pré-históricos, que tinham a prática de guardar os crânios como troféus e exibi-los em rituais com o objetivo de simbolizar a morte e o renascimento.

Data oficial da celebração do Dia dos Mortos no México

Atualmente, a festa acontece oficialmente no dia 1, que é dedicado às almas das crianças, e 2 de novembro, dia dedicado às almas dos adultos. No entanto, a data pode variar, bem como os rituais, conforme a região do país. Há, por exemplo, regiões que realizam a celebração do dia 28 de outubro até o dia 2 de novembro. Cada dia é destinado à memória das pessoas que morrem por determinados fatores ou por idade.

Por exemplo, o dia 28 é marcado pela lembrança das pessoas que morreram em um acidente; o dia 30 é destinado aos bebês que morreram sem batismo; 31 é para crianças menores de 12 anos. Já o dia 1 é considerado o Dia de Todos os Santos e lembra aqueles que morreram de causas naturais ou doenças. No dia 2 acredita-se que as almas podem andar em nosso plano e recolher as oferendas dos altares.

Seja comemorada apenas em dois dias ou em cinco dias, a tradição do Dia dos Mortos no México destaca o momento em que os vivos se encontram com o mortos. O momento é regado com comida, música, cores e alegria. Segundo algumas pessoas, a festa tem o objetivo de lembrar a todos que a morte é só uma transição para outro plano. Se esse for realmente o objetivo, posso dizer que foi concluído com sucesso, pois minha curta passagem pela tradição realmente me fez ver a morte por outra perspectiva.


Cidade Do México. Guia Top 10

Faça um comentário