O “Día de los Muertos” é uma das celebrações mais importantes da cultura mexicana. Já contei, aqui no site, sobre a história e os rituais dessa celebração. Agora é o momento de falar sobre o “Desfile de Día de Muertos” que acontece, anualmente, na Cidade do México.

Provavelmente, você nunca tenha ouvido falar sobre o desfile. Não tem problema. Acontece que ele surgiu recentemente. Ok, não tão recentemente assim. O primeiro aconteceu em 2016 e seu surgimento ocorreu após a gravação do filme Spectre, de James Bond.

O filme apresentou cenas de um grande desfile de Día de los Muertos, na Cidade do México. O governo mexicano, nada bobo, viu aí uma oportunidade de promover ainda mais a celebração e resolveu tirar o desfile da fantasia e implantá-lo na vida real. E não é que deu certo?! Agora, anualmente, as ruas centrais da Cidade do México contemplam um desfile carnavalesco lindíssimo.

O prazer de contemplar o Desfile de Día de Muertos

Las mujeres no Desfile de Día de Muertos

Uma única palavra é capaz de descrever o desfile: emocionante, encantador, festivo. Opa, passou de uma, né? Desculpa. É que não dá para definir o desfile em palavras de forma perfeita. Você precisa estar lá, ver com seus próprios olhos, sentir a energia. É algo interessantíssimo.

Contemplei o Desfile de Día de Muertos na sua segunda edição, que ocorreu no dia 28 de outubro de 2017, e meus olhos encheram-se de lágrimas: não de tristeza, mas pela felicidade de poder vivenciar um momento tão emocionante.

Pouco antes de contemplar o desfile, fui surpreendida com as ruas principais fechadas e a energia da região mudando. Os carros que passavam rápidos foram substituídos por pessoas ansiosas para ver o desfile.

Caminhando pelas ruas, pude perceber também que o desfile acabou se tornando uma forma de algumas pessoas ganharem um dinheirinho extra. Muitas famílias, compostas principalmente de mulheres, saem às ruas para maquiar os visitantes e turistas e ganhar uma grana. Obviamente, eu não pude deixar de pintar meu rosto, né?

Após fazer minha make, percebi que cada vez mais pessoas estavam chegando. Achei melhor encontrar um cantinho vazio na grade e esperar o desfile passar. Confesso que enquanto esperava pensei em comprar uma cerveja (Eeee, brasileira. Achando que era carnaval, né?), mas lembrei que é proibido tomar cerveja nas ruas e desisti da ideia.

Pouco tempo depois, a “festa” começou para a alegria de todos. O que pude notar é que o desfile é organizado e conta com dezenas de participantes. Todos com figurinos impecáveis e cumprindo seu papel. Posso até, de forma leviana, comparar sua organização com o desfiles de escolas de samba. Por cinco quilômetros, na Cidade do México, a caravana passa apresentando diversas histórias.

Como foi o Desfile de Día de Muertos em 2017

Só alegria no Desfile de Día de Muertos

Em 2017, o desfile começou prestando homenagens às vítimas do terremoto que ocorreu em 19 de setembro. Depois houve duas apresentações principais. A primeira, “A morte em vida”, teve o objetivo de apresentar as diferentes concepções que os mexicanos têm da morte, desde os tempos pré-hispânicos até o presente. Já na segunda apresentação houve o desfile das famosas Catrinas, que representavam os esqueletos femininos, e as Catrines, representando os esqueletos masculinos.

Durante as duas apresentações, havia músicas, alegria e histórias envolventes com mensagens sobre a cultura mexicana. Por isso, se você estiver na Cidade do México na época do desfile minha recomendação é: vá assistir, pois você não vai se arrepender.

Faça um comentário