Por Fernanda Rodrigues*

Viajar, para mim, significa muito mais do que conhecer um novo lugar. Viajar é sair da sua área de conforto, se desafiar a desbravar o novo, se conectar com você mesmo, fazer novos amigos, viver novas experiências. Enfim, é o que me deixa feliz e me faz crescer. Eu acredito que eu carrego um pouco de cada lugar que conheci dentro de mim.

Por isso, este texto é dedicado a um lugar que não importa quantas vezes eu visite, sempre vai ter alguma coisa nova para fazer e sempre vai ser uma experiência nova e única. Estou falando de Santiago, no Chile. Além de ser um lugar que considero surpreendente, a cidade oferece fácil para se locomover e é super segura (claro que sempre devemos tomar cuidado).

Mas me diga você: quando pensa em Santiago do Chile, o que vem à mente?  Vinho?  Então, vamos falar das vinícolas.

Concha y Toro

Uma das vinícolas mais famosas e visitadas é a Concha y Toro. Por estar dentro de Santiago, o acesso é muito fácil. Além disoso, tem guia em português, inglês e espanhol em vários horários durante e é um passeio legal se você gosta do tradicional. Lá eles vão te contar sobre a lenda do Casillero del Diablo (um dos vinhos mais vendidos no mundo). Você vai fazer as degustações dos melhores vinhos e depois vai conhecer uma loja para comprar alguns vinhos para trazer pro Brasil. Lembrando que algumas edições você não vai encontrar em qualquer mercado.

Como chegar: desça na estação Plaza de Puente Alto do metrô e pegue um taxi.

Preço por pessoa no tour tradicional: $16.000 CLP (aproximadamente R$90)

Agende sua visita aqui.

Emiliana

Em Janeiro de 2018, eu visitei uma vinícola que, confesso, roubou meu coração.  Emiliana fica um pouco afastada de Santiago,  no vale de Casablanca, mas eu prometo que vale a pena visitar. Lá a visita guiada pode ser em inglês ou espanhol (eu falo inglês, mas quando fui só tinha em espanhol e eu entendi, pois a guia falava devagar e repetia quando alguém não entendia).

Essa vinícola é orgânica e biodinâmica. Tudo lá é feito pensando no bem estar da natureza e do homem. Sem contar que os vinhos são maravilhosos e a presença das alpacas fofíssimas que são responsáveis por parte do adubo.

Crédito: Fernanda / acervo pessoal

Nós fizemos a visita a tarde e o garçom foi super generoso (depois de degustar 4 taças ainda compramos mais uma). Resumo: a vinícola fechou 18h, todos os funcionários foram embora (com exceção do guarda) e nós ficamos lá, como se a fazenda toda fosse nossa.

Como ir: existem algumas empresas que fazer o passeio até a vinícola ou você pode alugar um carro e fazer o seu próprio roteiro.

Preço por pessoa: $14.000 CLP (aproximadamente R$80)

Como agendar a visita: a reserva deve ser feita por telefone ou e-mail. Mais informações no site.

Cousino Macul

A terceira vinícola que eu decidi visitar foi a Cousino Macul porque eles têm um tipo de visita guiada diferente. A Bicicleta Verde, uma empresa de turismo focada em fazer passeios de bike, oferece a opção de você fazer a visita pedalando.

O guia nos leva para pedalar entre as videiras, conta a história da vinícola e a primeira degustação, que é um vinho exclusivo da vinícola, o Suavignon Gris, ocorre na sombra de uma árvore. Depois, de volta à casa principal, degustamos mais 3 vinhos da casa. O guia era bilíngue. Falava espanhol e inglês. A experiência é muito boa, mas confesso que eu achei o preço um pouco salgado.

Preço por pessoa: US$60 ou 35.000 pesos

Agende sua visita aqui.

Dicas para aproveitar melhor os passeios nas vinícolas em Santiago do Chile

Não deixe para reservar os tours na última hora. Você pode não encontrar horário disponível. Outra dica importante: você pode SIM trazer até quatro garrafas de vinho na mala de mão. Cada país tem suas regras alfandegárias e o Chile permite isso.

Os vinhos no Chile são bem mais em conta do que no Brasil. Então, compre!   Uma opção é comprar direto na vinícola, onde você pode encontrar “edições” que não estão disponíveis fora do local; e a outra opção é ir a algum mercado e fazer a festa. Além das quatro na mala de mão, você pode trazer mais 8 na bagagem de despachar! 12 no total (desde que não ultrapasse US$500).  Seja feliz!

Saúde! Salud!

Fernanda Rodrigues é viajante e leitora do M pelo Mundo. Quer saber mais sobre ela? Siga seu Instagram.

Faça um comentário