Uma tarde em Milão

Imagem: Pixcube.it / divulgação

Quando estive na Suíça decidi que tiraria um dia para fazer bate-volta na Itália. Minha ideia inicial era ir para Roma e dar uma passada no Vaticano, mas como a Itália tem aquele formato de bota, eu levaria muitas horas para ir de Zurique até Roma, que fica lá embaixo no mapa. Então, tive que escolher uma cidade que ficasse mais para cima e não me ocupasse muito tempo de viagem. A cidade escolhida então foi Milão.

Um pulo em Milão 

Nunca pensei em ir para Milão e quando cheguei por lá ainda não tinha certeza do que eu faria. Uma parada obrigatória era o Duomo, então lá fui eu enfrentar uma fila enorme para entrar. Apesar da fila longa, não demorou muito tempo para que eu conseguisse entrar (por míseros 3 euros!). Logo percebi que, mesmo que tivesse ficado horas na fila, teria valido a pena. A catedral é simplesmente incrível. Gigantesca e muito imponente, ela exala uma aura de magia e respeito que não dá para explicar com palavras. É impossível não imaginar cada pessoa que passou por ali, cada artista que doou uma vida para adorna-la com pinturas e esculturas belíssimas. 

Fachada do Duomo (acervo pessoal).

Após me deslumbrar com a catedral, caminhei um pouco pela praça e acabei chegando ao Castelo Sforezco, um castelo construído no século XV sobre os restos de um forte que havia ali anteriormente, no século XIV. A entrada é gratuita, mas os museus que se encontram no interior do castelo são pagos. Decidi que não iria visitar os museus, então fiquei apenas passeando pelos pátios do castelo e pelos gramados ao redor durante o restante da tarde. Foi um passeio bem tranquilo que eu não imaginei fazer em uma cidade tão cheia e aparentemente caótica.

Minha visão geral de Milão é que vale muito a pena conhecer os pontos turísticos, mas a cidade é cheia de vendedores ambulantes que te abordam nas ruas o tempo inteiro tentando vender alguma coisa, o que pode ser bastante incômodo. Embora eu tenha achado tudo muito bonito, não tenho uma vontade muito grande de retornar tão cedo. E vocês, o que pensam sobre Milão?

Faça um comentário
Brasiliense, professora de inglês, fotógrafa e escritora nas horas vagas. Amante das artes, da natureza e de tatuagens. Atendeu ao chamado desse mundão em 2017 descobriu nisso um novo propósito de vida.

Aviso

A reprodução total ou parcial do conteúdo publicado no M pelo Mundo, sem a autorização do site, é proibida pela Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.