3 lugares para trabalhar em troca de hospedagem e ajudar as mulheres locais

Foto: Workway/divulgação

Estou sempre procurando maneiras de viabilizar minhas viagens gastando pouco ou nenhum dinheiro. Uma das melhores formas que já encontrei foi trabalhar em troca de hospedagem e alimentação.

Existem alguns meios para isso, dentre eles os aplicativos e sites Workway, Helpx e WOOF são bem populares e acessíveis, sendo que nos dois primeiros é possível encontrar todo tipo de oportunidade de trabalho e, o último, é mais voltado para o trabalho em fazendas orgânicas. A seguir, compartilho algumas oportunidades para trabalhar ajudando mulheres de comunidades ao redor do mundo e, em troca, receber alimentação e hospedagem. 

Indicações de lugares para para trabalhar ajudando mulheres ao redor do mundo

  1. Índia

Trabalhe em uma organização sem fins lucrativos ajudando mulheres e crianças vítimas de violência doméstica Dehradun, na Índia. O trabalho consiste em aulas de inglês e é realizado basicamente no período da tarde, por no máximo cinco horas por dia, durante cinco dias por semana. Em troca, eles oferecem hospedagem e alimentação.

  1. Uganda

Desde 2011, um grupo de pessoas locais, no leste da Uganda, fazem a diferença auxiliando no processo de empoderamento das mulheres e jovens da comunidade. Eles estão à procura de voluntários ou voluntárias que possam ensinar técnicas e habilidades que propiciem alternativas de trabalho para esses jovens e mulheres. Em troca do trabalho, eles oferecem hospedagem e alimentação, porém é cobrada uma taxa de cinco dólares por dia para ajudar com os custos.

  1. Peru

Um centro de trabalho social localizado em Trujillo, no Peru, busca voluntários e voluntárias para atuar em projetos educacionais com crianças e mulheres. Não é exigido nenhum pré-requisito como experiência e habilidades na área de educação ou conhecimento avançado de espanhol. São exigidas quinze horas de trabalho semanalmente. Não é cobrada nenhuma taxa, porém os custos com hospedagem são de responsabilidade da voluntária. Os líderes locais auxiliam no processo de encontrar uma moradia temporária que custa, em média, 400 Soles por mês, aproximadamente 400 reais.

Faça um comentário
Bruna Fante
Desde que descobriu o significado de ser sagitariana nunca deixou de citar essa informação astrológica ao se descrever, pelo simples fato de nela caberem duas palavras que tanto dizem sobre sua alma: liberdade e viagem. Recentemente, atravessou quase meio país até o centro da América Latina para (tentar) passar adiante, através da educação, seu ofício de formação e de paixão: as Letras. Agora, tenta se equilibrar na corda bamba que unem os desafios da sua rotina profissional e o seu propósito: deixar um pouco de si e levar um pouco de cada canto deste vasto mundo.

Aviso

A reprodução total ou parcial do conteúdo publicado no M pelo Mundo, sem a autorização do site, é proibida pela Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.