Sobre se apaixonar em uma viagem

Quando viajamos, normalmente, estamos tão entregues aqueles dias, que planejamos com tanto carinho, que as emoções ficam a flor da pele. A curiosidade de conhecer os lugares, a cultura, as pessoas, faz com que tudo seja mais intensificado e que fiquemos mais abertas às novas experiências.

Em uma situação como essa, com a intensidade acima do normal, pode ser que o coração dispare por aquele boy ou mina que encontramos no caminho. E, quando isso acontece, amiga, se prepare, pois seu coração ficará em pulsos frenéticos. Dizem que o coração é terra sem lei e de certa forma é possível concordar com isso. Afinal, venhamos e convenhamos, que se apaixonar por alguém que mora tão longe é algo complicado. No entanto, quando a paixão resolve aparecer em uma viagem não há como controlar.

Você quer aproveitar todos os segundos possíveis com a pessoa, conhece-la da maneira mais profunda em apenas alguns dias, mesmo sabendo que ninguém conhece tão bem uma pessoa em apenas alguns dias. No entanto, de alguma maneira, sua parte racional já não é algo tão confiável e você quer que todo aquele momento seja muito, mais muito, especial, pois sabe que em alguns dias milhares de quilômetros se colocaram entre vocês.  

E como não há escolha e não há como parar o tempo. Depois de todos os momentos bacanas, toda a troca cultural e de carinho, chega o tão temido momento. É hora de partir! Você precisa deixar a pessoa que tocou seu coração, sem saber se algum dia poderá encontra-la novamente.

Para algumas, é um momento extremamente doloroso já que não há certeza sobre um novo encontro e nesse caso embarcar sem olhar para trás parece ser o melhor remédio. No entanto, para outras é um momento no qual a saudade já começa a brotar e elas optam por olhar para trás para confirmar olhando nos olhos que logo estarão juntos novamente.

 

 

 

Faça um comentário
Sou jornalista de formação e conto com passagens por diversos veículos de imprensa. No entanto, foi como repórter de turismo que encontrei minha paixão. Sou feminista e em 2015 decidi juntar jornalismo, viagem e empoderamento feminino para criar o portal M pelo Mundo.

Leia também:

Aviso

A reprodução total ou parcial do conteúdo publicado no M pelo Mundo, sem a autorização do site, é proibida pela Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.