Quero fazer um mochilão, e agora? Saiba aqui como organizar tudo

Imagem: Pexels

Você está louca para se jogar no mundo e não faz ideia de como se organizar para isso, não é? Tem mil destinos em mente, está fantasiando como será o seu voo e todas as coisas maravilhosas que te esperam na sua trip, mas não consegue nem rascunhar a viagem? Então respira e presta atenção nos conselhos que a tia aqui tem para você. Cola em mim que você vai se dar bem e vai descobrir como organizar um mochilão.

Confira um passo a passo para organizar um mochilão

Consulte seu bolso

Antes de consultar o mapa-múndi é necessário consultar o seu bolso. Às vezes o seu bolso não colabora muito com o seu “destino-desejo”. Você precisa se perguntar: “quanto estou disposta a gastar com essa viagem?” “Quanto posso investir nesse sonho?” Mas calma aí, nem sempre as coisas são tão caras quanto parecem. Só depende do que você está disposta a fazer em troca dessa experiência. Espera um pouquinho que mais para frente eu explico.

Defina o seu tipo de viagem

Bolso consultado é hora de definir que tipo de viagem você quer te, quais as acomodações que irá usufruir (hotel, hostel, airbnb, couchsurfing, casa “dazamigas”), quais os meios de transporte que quer usar e quais os tipos de atrações que quer conhecer. Tudo influencia no seu mochilão, exatamente  T U D O.

Escolha os destinos

Image result for wild movie
Imagem: Filme Wild / divulgação

Evidentemente se o destino for dentro do Brasil, os custos são bem mais em conta. Considerando que os voos dentro do país são mais baratos, principalmente se comprados em uma boa promoção ou com certa antecedência; e que é possível fazer excelentes viagens de ônibus ou carro.

No final das contas, o valor do transporte é um dos maiores pesos dentro de uma viagem. Se for possível economizar nesse quesito, você terá grande possibilidade de fazer um bom negócio. Então, minha amiga, se a grana está curta, foca no nosso Brasilzão que você vai se divertir bastante. Nosso país é lindo, com uma natureza exuberante e merece ser melhor conhecido por nós.  

Compre sua passagem

Estabeleça uma data e comece a pesquisar em sites as passagens aéreas. Se achar que está muito caro, vá de carro, vá de ônibus, vá de carona. Apenas vá porque você merece. Coloque no papel uma região que quer conhecer.  Uma boa dica é tentar voltar de avião comprando antecipadamente sua passagem. Aí você vai de carro/ônibus e volta literalmente voando, economizando tempo e desgaste, porque você vai estar bem cansada.

Estabeleça quantos dias ficará em cada cidade

Agora é hora de definir a quantidade de dias que você passará em cada cidade. “Quantas noites é o ideal para eu dormir em cada cidade que eu quero conhecer?” A resposta é simples: depende.  

Depende do seu estilo e do que quer fazer em cada local que dormir. O ideal é que você pesquise muito sobre as atrações das cidades, já colocando no seu roteiro o valor gasto em cada uma e quanto tempo você deve dedicar à atração. Geralmente, você consegue essas informações na internet, mas tem que pesquisar bastante.

Escolha sua hospedagem

Agora é a hora da hospedagem. Hoje uma opção bastante econômica e legal são os hostels. Existe hostel no mundo todo, uns melhores, outros piores, Enfim, tem para todos os gostos e bolsos. Se quiser economizar bastante, pode ficar em um quarto coletivo. Mas se quiser mais privacidade, muitos hostels tem quarto privativo (o que, às vezes não compensa, por ter um preço muito próximo a um hotel).

Se a sua situação é mais tranquila, então dá para investir em um hotel. Mas já tenha em mente que hotel é uma coisa bem mais fria. Se você está indo sozinha e quer se enturmar, arrumar companhia, ou simplesmente conhecer pessoas novas, o melhor mesmo é o hostel. Há também outras opções como:

Couchsurfing. Eu, particularmente, nunca usei esse serviço. Já li relatos bons e relatos ruins sobre esse tipo de hospedagem, que consiste simplesmente em dormir no sofá de alguém. Existem sites especializados em couchsurfing, onde as pessoas avaliam o anfitrião e pedem um espacinho em alguma casa onde queiram ficar. A dica é que sejam muito cautelosas ao escolher o anfitrião. Procure saber todas as informações que puder da pessoa e se ela já recebeu várias outras turistas. Foque sempre na sua segurança, para evitar experiências ruins na sua viagem.

Airbnb. O Airbnb é um aplicativo onde você aluga uma casa/apartamento/quarto diretamente com o proprietário. Eu acho bastante interessante, pois os preços geralmente são convidativos. Como sempre, é bom olhar a nota do proprietário e as avaliações que os outros usuários deram para que você não tenha surpresas na sua hospedagem.

Independente do tipo de hospedagem que você escolher, é sempre legal que você veja a localização da propriedade. As propriedades localizadas próximas aos pontos turísticos mais famosos tendem a ser mais caras. No entanto, você gastará pouco com transporte público. Então é necessário colocar na ponta do lápis os valores e analisar qual o melhor custo-benefício para a sua empreitada.

Organize sua bagagem

Aí está um assunto polêmico: que tipo de bagagem levar? Eu costumo levar uma mala de bordo e uma mochila pequena. Não gosto de carregar mochila cargueiro porque acho incômodo. Até porque na minha idade a lombar já grita até sem mochilão. Imagina com!

Mas se você está super afim de perambular por aí exibindo aquela mochila enorme nas costas, invista em uma marca boa. Pesquise bastante, veja qual o tamanho ideal para sua altura e peso. É importante investir na mochila certa porque geralmente elas são caras. Entre em sites especializados, faça testes (se puder) com mochilas de amigos e decida o que é melhor para você.

Mas como eu disse, me viro bem com uma mala pequena. Levo somente o essencial. Algumas camisetas, roupas íntimas, uma calça jeans a mais (já viajo com uma), umas duas leggings, duas camisetas de manga comprida, uma segunda pele se o destino for frio e alguns acessórios. O casaco vai na mão. Realmente poucas coisas para sobrar um espacinho na mala para a volta.

Dica de ouro: muitos hostels têm lavanderia. Se a cada quatro ou cinco dias você lavar suas roupas, você não precisará levar tantas peças.

Leia tambémDicas para encontrar um seguro viagem mais barato

Curtiu o passo a passo? Tem alguma dúvida? Deixa nos comentários que alguma das nossas colaboradoras irá responder.

Faça um comentário
Laura Camargo
Tenho 38 anos, sou funcionária pública, casada e moro no interior de SP. Viajo sempre que posso e faço disso o meu objetivo de vida.

Leia também:

Aviso

A reprodução total ou parcial do conteúdo publicado no M pelo Mundo, sem a autorização do site, é proibida pela Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.