Buenos Aires: a cidade luz da América tem o mesmo charme e cheiro de café, mas com sangue latino

Imagem: Raísa Casagrande (acervo pessoal)

Buenos Aires é a Paris Latina. Com avenidas largas e compridas, áreas verdes, cafés charmosos em cada esquina e ruas arborizadas, a cidade foi construída para imitar o sonho europeu na América.

Para os brasileiros, principalmente do sul do Brasil, Buenos Aires é logo ali e um dos destinos mais procurados em períodos de férias. Infelizmente, com o passar dos anos, esse destino tem se tornado instável financeiramente em função da alta inflação. E é justamente esse o ponto que mais chamou minha atenção na viagem em janeiro de 2017.

Apesar da nossa moeda, o real brasileiro, valer mais, as compras argentinas tiveram que ser reduzidas, pois convertendo o dinheiro pagávamos preços bem elevados para a comida e bebida, tanto em restaurantes quanto em compras de supermercado. Acho que a minha primeira dica é essa: programem-se com o dinheiro e não se deixem enganar pela desvalorização do peso argentino se comparado ao real brasileiro.

Tirando a questão financeira – a curiosidade da maioria – Buenos Aires é incrível. A cidade tem aquele charme que só as capitais têm e te engole com diversidade, monumentos, parque, praças, um espanhol carregado com o som de “x”, e muita cultura.

Para quem já esteve na Europa, vai se sentir como se tivesse voltado. Vale a pena caminhar só para observar a arquitetura incrível e bem conservada que a cidade oferece.

Os novos prédios e construções contrastam com o antigo, criando ambientes únicos. E falando em caminhar, a minha dica é fazer o Free Walking Tour: com guias em inglês e espanhol, você caminha pelos principais pontos turísticos da cidade com um grupo formado por pessoas de vários lugares do mundo e descobre histórias incríveis sobre a cidade e sobre a Argentina.

Os passeios saem em dois horários, de manhã e à tarde. Pela manhã, o ponto de encontro é na Plaza Estado del Vaticano, ao lado do Teatro Cólon – outro ponto turístico. À tarde, o Free Walking Tour tem como ponto de partida o Congresso Nacional.

Dicas do que conhecer em Buenos Aires

Imagem: Raísa Casagrande (acervo pessoal)

Os bairros principais da cidade para os turistas são o Palermo, San Telmo, Retiro, Recoleta e o conhecido Microcentro que vai da Avenida Córdoba até a Avenida de Mayo.  Nesses lugares, encontram-se a maioria dos pontos turísticos como o Obelisco, a Plaza de Mayo, a Casa Rosada, a Flor Metálica, as escadarias da Faculdade de Direito (que garantem uma vista do pôr do sol maravilhosa!), a Calle Florida, o Jardim Japonês, o Monumento da Mafalda, entre tantos outros pontos importantes para a história do país como a Plaza Genera San Martín, atualmente declarada como Lugar Histórico Nacional.

Por isso, se há a chance de você se hospedar em algum desses bairros, a garantia de uma estadia tranquila, porém nada monótona, é garantida. Os bairros podem ser percorridos a pé com facilidade, as ruas são bem sinalizadas e o trânsito, apesar de caótico nos horários de pico, não chega a atrapalhar.

Ah, vale lembrar que no bairro da Recoleta está o Cemitério da Recoleta, que se tornou um famoso ponto turístico, pois é lá que estão enterrados os maiores nomes da história argentina na política, cinema, e literatura, como a amada por muitos e odiada por tantos outros, Eva Perón. Também é neste bairro que a fica a famosa e linda livraria El Ateneo, considerada uma das bonitas do mundo.

Um pouco mais afastado, fica o bairro La Boca, conhecido principalmente por ser a casa do estádio La Bambonera do Boca Juniors e também do Caminito, um museu a céu aberto. Esse ponto da cidade é conhecido por ser a casa de vários artistas e ponto de referência cultural, seja no tango, no artesanato ou na pintura. É o bairro mais antigo da cidade e todo o contexto de cor (todo mundo já viu foto de todas as casinhas coloridas, né?) do bairro é originário dos imigrantes – a maioria – europeus que construíam casas coletivas e pintavam com restos de tintas. Por isso, cada casa é de uma cor e hoje em dia abrigam vários cafés, restaurantes e lojas.

Mais opções de passeios 

Imagem: Raísa Casagrande (acervo pessoal)

Outro bairro, um pouquinho mais afastado também, é o Puerto Madero. Um bairro revitalizado que possui restaurantes, centros culturais, teatros, hóteis de luxo, cinemas, edifícios comerciais e casas de tango. É o bairro mais caro de Buenos Aires e onde fica a Puente de La Mujer sobre o Rio de La Plata, uma obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava. Vale a pena conferir!

Porém, devo informá-los: o bairro La Boca deve ser visitado durante o dia pois é mais seguro – essa dica é dada pelos próprios hermanos. Mas, eu e meus amigos fomos furtados em Puerto Madero dentro de um restaurante numa noite linda, ou seja, qualquer lugar no mundo é perigoso se você não está atento.

A experiência só foi válida pois retornaríamos no dia seguinte para o Brasil e o passaporte da minha amiga estava na bolsa furtada, e desde o momento do furto, fomos super bem amparados tanto no restaurante onde aconteceu o caso quanto na delegacia onde registramos a ocorrência. No dia seguinte, fomos ao Consulado Brasileiro e o problema foi resolvido sem maiores traumas.

Por fim, vale ressaltar: Buenos Aires é uma mistura de aromas, cores e sabores. Cada canto da cidade reserva uma surpresa. Apesar de em alguns lugares se tornar um pouco caótica, a cidade possui infraestrutura, transporte coletivo de fácil entendimento e um povo disposto a ajudar – mesmo que sejamos todos Pelé.

Faça um comentário
Raísa Casagrande
Gaúcha sem sotaque. Sagitariana. Otimista. Amo viajar, conhecer pessoas novas e escrever - sobre tudo e qualquer coisa. O mundo é possibilidade. Vem comigo?

Leia também:

Aviso

A reprodução total ou parcial do conteúdo publicado no M pelo Mundo, sem a autorização do site, é proibida pela Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.