Eu sou meu próprio lar

Crédito: Pexels

Desemprego é uma palavra que não me assusta. Portanto, começar 2018 desempregada me trouxe a melhor das oportunidades: viajar. O contrato de trabalho que eu tinha encerrou em dezembro e eu decidi entregar o quarto que eu alugava em um apartamento com os amigos, vender e doar o pouco que tinha e juntar o resto das coisas em três malas. Tudo isso decidido em duas semanas. Inclusive, não foi a primeira vez que eu fiz. Culpem minha lua em aquário.

Estava morando na minha cidade natal, Campina Grande, e decidi que o mês de janeiro eu irei passar com a minha irmã, na casa dela, em João Pessoa . Aqui eu gasto pouco e ainda posso curtir vários passeios, além do plus que é estar com a minha sobrinha que nasceu em julho do ano passado e até então eu tinha tido pouco tempo para conviver.

O próximo mês também já está programado e o destino é o Rio de Janeiro . Tenho uma amiga que mora lá e vai me dar pouso por um mês. A capital eu já conheço, já estive duas vezes no Rio. Por isso, desta vez, quero conhecer outro lugar e o escolhido foi Arraial do Cabo.

Claro que dinheiro não é algo que estou esbanjando, mas tenho um pouco do que recebi da rescisão e vou fazer uns trabalhos extras (e procurar outros) para poder, quem sabe, também passar o mês de março em outro destino. Dedos cruzados!

Por enquanto, as certezas que eu tenho são este mês com a família, uma passagem só de ida para o Sudeste e os seguintes versos na cabeça: Um homem não me define/Minha casa não me define/Minha carne não me define/Eu sou o meu próprio lar.

Faça um comentário
Fabiana Araújo
Escritora e viajante apaixonada. Feminista, adora incentivar outras mulheres a viajarem sozinhas 🙂

Leia também:

Aviso

A reprodução total ou parcial do conteúdo publicado no M pelo Mundo, sem a autorização do site, é proibida pela Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.