Espiritualidade e turismo no Caminho da Espada de São Miguel

Imagem: Mont Saint Michel / divulgação

Por Lucila Nedelciu

Hoje em dia, há uma infinidade de rotas de peregrinação pelo mundo. Só no Brasil, a cada dia surgem novos caminhos, seguidos por pessoas que buscam uma resposta para suas vidas. Inclusive, já tivemos várias experiências interessantes com grupos que percorreram o Caminho de Santiago de Compostela, por exemplo.

As histórias são muitas de pessoas felizes por terem passado por essas oportunidades; para nós, representa o que sempre buscamos, ou seja, transformar suas vidas.

Recentemente, tivemos a possibilidade de conhecer a fundo um caminho muito interessante, por intermédio de Moacyr Martins, coach espiritual e que trabalha com anjos há muitos anos.

Trata-se do Caminho da Espada de Miguel Arcanjo que, de acordo com tradições e lendas, durante uma luta com o diabo, o arcanjo desenhou o caminho sagrado com sua espada, criando uma fenda invisível para ligar os locais sagrados destinados a ele.

Assim, resolvemos conhecer mais sobre essa rota no continente europeu, que possui três pontos focais: Monte Gargano e Sacra de San Michele, na Itália, e Mont Saint Michel, na França. Esses três lugares são dedicados ao arcanjo e estão, exatamente, a mil quilômetros de distância um do outro, alinhados ao longo de uma linha reta.

Ao criar o roteiro, aprendemos muito sobre essa história incrível. De acordo com Moacyr Martins, soubemos que a Terra é um ser vivo, assim como o corpo humano, e que possui um sistema de meridianos e chackras vitais para o mundo e para os seres vivos que dependem dos diferentes ambientes oferecidos pelo planeta. Assim, toda a rota está na linda do segundo chackra da Terra, mais conhecido como sacral, e que possibilita o nascimento de algo novo em nosso mundo.

O início da rota acontece em Monte Sant´Angelo, localizado ao sul da Itália, considerado o mais antigo santuário da Europa Ocidental dedicado ao arcanjo e onde está a Gruta de São Miguel. Na cidade, há diversos relatos de milagres ligados ao arcanjo, que está representado em uma estátua na região central.

Outro ponto imperdível é San Giovanni Rotondo, cidade da Puglia, famosa por abrigar os restos mortais do Padre Pio, herdeiro espiritual de São Francisco de Assis. Ele é conhecido mundialmente suas profecias, bilocação (presença simultânea em dois lugares diferentes) estigmas de Jesus Cristo, milagres e convivência com seu anjo da guarda. E já que o peregrino estará na Itália, é fundamental passar por Assis, cidade natal de São Francisco.

A peregrinação passa por Turim, que abriga a Sacra di San Michele, conhecida por ter inspirado as locações do filme “O Nome da Rosa” e construída a pedido do Arcanjo Miguel. Turim é famosa por ter sediado reuniões de grandes alquimistas da humanidade, como Leonardo da Vinci e Michelangelo.

Segundo Moacyr, a sacra é um templo da era bizantina, toda encravada nas rochas, com uma escultura de Miguel. Uma das versões mais populares diz que Arcebispo de Ravenna, entre 986 e 997, queria construir uma abadia em honra de São Miguel Arcanjo no lado sul do Monte Caprasio. O trabalho começou, porém à noite, todas as pedras colocadas sumiam. O bispo, desesperado, descobriu que os ladrões não eram homens, mas anjos que, protegidos pela escuridão da noite, carregavam as pedras para o local onde foi construída e está até hoje.

O ponto alto da rota é o Mont Saint Michel, na França, considerado um dos maiores centros de peregrinação da Europa Medieval. Segundo uma lenda, o Arcanjo Miguel apareceu três vezes em 709 para o bispo de Avranches, pedindo para construir uma igreja sobre a rocha. Entretanto, o bispo ignorou o pedido duas vezes até que na terceira, Miguel tocou sua cabeça com o dedo, onde ficou um buraco (inclusive o crânio dele está exposto em uma cidade localizada há cerca de 100 quilômetros do Mont Saint Michel).

O peregrino ainda deve visitar Chartres, conforme recomendação de Moacyr, pois lá passam 10 meridianos da Terra. Quando a França ainda era a Gália, os celtas, que habitavam a região e veneravam a deusa terra dentro de um santuário subterrâneo, que foi mantido para homenagear a Virgem Mãe de Deus.

O caminho é impressionante; os relatos dos moradores surpreendem a todos e, embora tenha sido criado na Idade Média, ainda é desconhecido pela maioria dos brasileiros. Justamente por isso, convidamos Moacyr Martins para acompanhar um grupo, que trará não apenas fotos felizes, mas experiências transformadoras e nova uma consciência.

* Lucila Nedelciu é diretora da Raidho Viagens, operadora especializada em roteiros exóticos e diferenciados

Faça um comentário
Da redação
Somos o primeiro portal de informações e dicas de viagem para mulheres.

Aviso

A reprodução total ou parcial do conteúdo publicado no M pelo Mundo, sem a autorização do site, é proibida pela Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.