Dicas para economizar em Nova York

Nova York, EUA. Crédito: Pexels

Eu conheço muitas pessoas que guardam dinheiro o ano todo para poder esbanjar nas sonhadas férias. Afinal, depois de um ano inteiro de muita ralação, você merece sim ter uns dias de princesa para recarregar as baterias e voltar com pique total. Mas também há gente que, assim como eu, não desapega do estilo de vida econômico nem nas férias e sempre repete o mantra “gastar menos para viajar mais”. E mesmo em destinos badalados como Nova York , é possível curtir muito sem ir à falência ou voltar toda endividada no cartão de crédito. Então preparei algumas sugestões para quem quer aproveitar muito a Big Apple gastando o mínimo possível. 

Saiba como economizar em Nova York

  • Use e abuse do metrô

Um meio de transporte rápido e barato que já começa a te ajudar com a chegada ao aeroporto. O JFK (Aeroporto Internacional John F. Kennedy), por onde chega a maior parte dos voos internacionais, é conectado ao sistema de metrô através do Airtrain que roda 24 horas por dia.

Além disso, ao comprar o cartão do metrô (que custa $1 e é facilmente adquirido em máquinas e em qualquer estação) você pode optar por carregá-lo com qualquer valor entre $5 e $100 do qual será debitado $2,75 por cada viagem individual, ou um vale de uso ilimitado de 7 dias ou 1 mês (respectivamente $32 e $121). Sabendo o tempo em que você pretende ficar na cidade e tendo uma ideia do que pretende fazer, é possível descobrir o que é mais vantajoso para você sem muita complicação matemática.

Imagem: Mapa do metrô disponível aqui.

  • Visite os parques da cidade

Começando pelo mais famoso deles, não dá pra dizer que você foi a Nova York sem ter dado uma passadinha no Central Park. Um dos cartões postais da cidade, esse parque enorme (ele possui 3,41km2) é repleto de paisagens encantadoras facilmente acessíveis e tudo que você precisa é de tempo para explorar cada cantinho. Se você gosta de ter mais informações sobre o local que está visitando, pode optar por um roteiro autoguiado (você baixa o roteiro escolhido em PDF e segue as instruções por conta própria) ou se juntar a um grupo para um tour oferecido gratuitamente por uma instituição chamada  Central Park Conservancy. Para mais informações sobre esses tour (e outros que são pagos), basta consultar o site oficial do parque.

Se você tem tempo, disposição e pouco dinheiro para gastar, pode também aproveitar outros parques na Big Apple. Só para citar alguns, dá para conhecer o Brytant Park no mesmo dia que a Biblioteca Pública (que também possui tours de graça) e a Grand Central Station, provar umas comidinhas bacanas no maior mercado de comida ao ar livre da América aos domingos no Prospect Park, relaxar no Battery Park antes ou depois de pegar a balsa para ver a Estátua da Liberdade, ou passear pelo mais novo queridinho dos turistas, o High Line Park.

  • Aproveite os museus

Subir as escadas da entrada do MET (Museu Metropolitano de Arte) por si só já é uma experiência digna de nota para os apaixonados por Nova York, mas se deparar com o preço de $25 pode fazer você querer dar meia volta e sair correndo pelo mesmo arco neoclássico que entrou. Mas acontece que, assim como no igualmente indispensável Museu de História Natural, o preço destacado na entrada é uma contribuição sugerida, ou seja, você pode pagar qualquer valor para admirar o acervo desses museus.

Para os econômicos apaixonados por arte, outra opção é o MOMA (Museu de Arte Moderna), que tem visitação grátis às sextas-feiras das 16h às 20h30. Além de exibições temporárias fantásticas, a coleção permanente conta com obras de grandes artistas, como “A Noite Estrelada” de Vincent Van Gogh e “As senhoritas de Avignon” de Pablo Picasso.

  • Atravesse a Brooklyn Bridge

Um dos cartões postais mais reconhecíveis de Nova York é sem dúvida a Ponte do Brooklyn. Ela foi a primeira via a fazer a ligação entre o Brooklyn e Manhattan. Além da sua própria belíssima estrutura, atravessar os quase 2 quilômetros de sua extensão proporciona imagens altamente instagramáveis da cidade. E ao contrário do que acontecia na época de sua inauguração, quando pedestres precisavam pagar 1 centavo para atravessar a ponte, hoje em dia você pode fazer isso sem gastar nada.

  • Chegue pertinho da Estátua da Liberdade

Essa dica eu considero valiosa, mas só para quem não faz questão de visitar a estátua propriamente dita. A Estátua da Liberdade fica localizada na Liberty Island, uma ilhota bem próxima à Manhattan. Para chegar até esse que é um dos pontos turísticos mais famosos do mundo você deve adquirir um ticket de $25,50 que inclui a balsa que te levará até lá, e também faz uma parada em Ellis, onde fica o Museu da Imigração. O ingresso que dá acesso ao pedestal da estátua custa o mesmo preço, mas precisa ser comprado pelo site oficial com bastante antecedência. Já o preço do ticket para subir até a coroa sobe para $28,50.

Agora, se você não faz tanta questão de pôr os pés na tal ilhota, pode fazer como muitos outros turistas econômicos e nova-iorquinos indo para o trabalho e pegar a Staten Island Ferry. Ela é uma balsa gratuita que liga Manhattan à Staten Island e em seu trajeto de 30 minutos passa bem pertinho da Estátua da Liberdade. Você pega a balsa próximo ao Battery Park.  Além da estátua, o passeio também proporciona uma bela vista da cidade e o melhor, sem pesar nadinha no bolso.

  • Conheça a Grand Central Station

Basta pôr os pés nessa famosa estação de trem para se sentir dentro de um filme. A construção data do início do século XX e a Grand Central Station já serviu de locação inúmeras vezes para o universo cinematográfico. Eu poderia mencionar dezenas de filmes e séries, mas vou deixar aqui uma das minhas cenas preferidas envolvendo a estação:

Vídeo disponível no Youtube aqui

Se só admirar os detalhes arquitetônicos ou cobiçar as vitrines das lojas não é suficiente para você, uma boa dica é pegar um audioguia por apenas $9 ou baixar para o seu celular o aplicativo pela bagatela de $4,99.

  • Se emocione no Memorial 11 de setembro

As imponentes torres se foram, mas hoje em dia em seu lugar está o Memorial 11 de Setembro. O monumento construído no marco zero dos ataques que aconteceram em 2001 homenageia as vítimas que perderam a vida na ocasião. Seus nomes estão gravados no entorno de dois espelhos d’água.

Não é preciso pagar para visitar o memorial, mas se você desejar conhecer o museu que fica no mesmo local, a entrada custa $24.

  • Se encantar com as luzes da Times Square

A Times Square é muito mais que letreiros em neon e luzes que não se apagam, é o coração de Nova York. Aqui você vai encontrar desde lojas icônicas até estabelecimentos vendendo os melhores souvenires  “made in China”, e mesmo que fazer compras não esteja no seu roteiro, admirar as vitrines e painéis da Times Square são um programa imperdível.

Você também pode subir as famosas escadas vermelhas para apreciar melhor o visual, ou aproveitar que já está por aqui, e ir até o quiosque da TKTS onde é possível comprar ingressos para produções da Broadway com descontos de até 50% e ir andando até o Theater District, onde se concentram os teatros.

É claro que existem vários outros programas em Nova York nos quais você não terá opção a não ser abrir a carteira, mas com toda essa economia, fica bem mais fácil não se sentir culpada e aproveitar os seus valiosos dias de férias sem peso na consciência.

Gostou das dicas? Compartilhe este texto nas suas redes sociais. 

Faça um comentário
Analu Bento
Rainha da contradição. Adora adjetivos que começam com pseudo. Viciada em cinema e seriados. Em constante procura por bandas que ninguém mais conhece. Bióloga que virou English teacher. Estranhamente obcecada por caveiras. Mochileira por vocação. Blogueira de ocasião. Carioca da clara. No momento, tentando escrever para o M pelo Mundo e Crônicas de uma Pessoa Comum, enquanto faz o possível para sobreviver em Pequim sem falar chinês. Analu Bento, muito prazer.

Leia também:

Aviso

A reprodução total ou parcial do conteúdo publicado no M pelo Mundo, sem a autorização do site, é proibida pela Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.