Conheça Punta: o lugar dos corações amantes e amados

Imagem: Punta Del Diablo/ Natasha de Pina

Não, se pensou que essa Punta era Punta Del Este, se enganou. Queria te contar um pouquinho de Punta Del Diablo Sim, sim! De nome minimamente curioso, a cidade só é mais um lugar pelo qual você irá se apaixonar.   Punta fica quase no Chuí – sabe aquela coisa “do Oiapoque ao Chuí”? Pois então. Punta fica a uma hora de carro do Chuí, lá bem depois do finalzinho do Brasil. É território uruguaio, onde faz aquele friozinho delícia.

Fui para Punta em novembro. Fui sola, solíssima. E, nossa, que pedacinho de terra apaixonante. Cheguei em Montevidéu, de avião, fui para a rodoviária e de lá peguei um ônibus para Punta. Quatro horas de viagem. Engraçado que o percurso, ao contrário da cidade, não era tão seguro assim, acho eu. Viajei com dois policiais dentro do ônibus em pé o tempo todo. Algo deve acontecer por lá. Faz sentido: lugar de fronteira.

Alguns erros nesse percurso.

Eu, claramente, poderia ter pegado um busão do aeroporto para a rodoviária. Preferi pegar um táxi e morri em uma grana. Tudo indica que ou os táxis são caros no Uruguai ou que a rodoviária é longe do aeroporto. Aposto mais no

Fui meio sem planejamento, meio na paixão. Não que tenha muitas opções de voo do Rio para Montevidéu, mas esperei umas boas horas na rodoviária pelo ônibus. Acho que se eu tivesse me planejado melhor, não teria ficado tanto de castigo.

Dizem também que é mais rápido e fácil partir de Porto Alegre. Não duvido, mas não testei.  Dei mole, mas a estada compensou tudo.

Chegando em Punta Del Diablo foi que me toquei onde tinha ido parar. A cidade parece saída de um conto de fadas. É um lugarejo nascido de uma antiga colônia de pescadores que “cresceu”. Gente, cresceu nada. É tudo bem pequetitito. E lindo!

A cidade fica localizada em cima de colinas, é um sobe e desce danado se quiser ir à praia. Mas, pensa só na vista! De dentro das casas tem-se uma vista maravilhosa, de um marzão enorme, bastante convidativo a todas as tribos: surfistas, não-surfistas, praianos, não-praianos. Não tem como não se apaixonar pela força do mar de Punta.

E é força mesmo. O mar é perfeito para o surfe e a água é gelada, gelada, gelada. Quem algum dia reclamou da temperatura do mar do nosso sul, não tem ideia de como é no Uruguai. Mas também, né? Fica super lá embaixo. Não poderia ser diferente.

Todavia, nem só de surfe vivem os locais. Como fica localizada em uma pontinha, Punta é cercada pelo mar. De frente para o mar, do lado direito encontram-se rochedos enormes perfeitos para uma espairada. Nada como sentar ali, apreciar a natureza e ler um livro. Ou nada de livro. Só ficar ali ouvindo o mar já vale tanto… É o mais puro conceito de paz acontecendo na sua vida. Indo para o lado oposto, encontra-se mais praia, mais mar, mais paz.

As ruas de Punta são simples, as casas são simples, como de uma cidade sem requinte, mas com charme de Uruguai. Engraçado é a quantidade de sapos esmagados pelos carros no meio das ruas. Nada romântico. Sério. Muitos corpinhos atropelados. Dá uma dor no coração…

E a sensação de segurança do lugar? Sentia-me abraçada por todos, cuidada. Só para se ter uma ideia, meu ônibus de volta saía às 5h da madrugada. Acabei saindo cedo demais do hostel e fiquei das 4h até o ônibus chegar, sozinha no ponto de ônibus de bem com a vida. Não havia perigo. Eu estava bem.

Punta Del Diablo é o lugar dos corações amantes e amados. É o lugar da quietude, é o lugar da calmaria. Conheça Punta. Não tem erro.

Faça um comentário
Natasha de Pina
Carioca curiosa, minha paixão pelas letras veio da impossibilidade de se conhecer o mundo todo em somente uma vida. Se não posso ver tudo fisicamente, que o faça pelos livros também. Minha vida é escrever e viajar. Não necessariamente nessa ordem.

Leia também:

Aviso

A reprodução total ou parcial do conteúdo publicado no M pelo Mundo, sem a autorização do site, é proibida pela Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.