Moça, não precisa estar o tempo todo arrumada em uma viagem

Imagem: Pexels

A experiência e a troca são coisas que realmente nos fazem mudar. Digo isso, pois ao longo das minhas viagens, encontrei mulheres que mesmo sem saber, me ensinaram muitas coisas. Viajante principiante, eu era daquelas que me dedicava muito para estar sempre maquiada (até para ir à praia), cabelo arrumado e looks diferentes sempre.

Felizmente, como já disse, ao longo do caminho fui conhecendo mulheres que foram me ensinando, mesmo sem saber, que eu não precisava de tudo isso para curtir uma viagem. Bastava estar ali, me sentir bem e estava tudo ok. Não nego que esse processo foi longo e ainda é.

A pressão estética que nós, mulheres, sofremos, não é fácil de se livrar e nos acompanha sempre – inclusive em uma viagem. Além disso, a gente observa aquelas fotos de viagem maravilhosas no Instagram de minas viajantes e quer abafar também. Eu sei. Eu sei. Só que por trás destas fotos, muitas vezes, há horas de preparação. Horas que poderiam ser usufruídas de outra forma.

Não estou dizendo que você tem que sair por aí toda descabelada ou roupa rasgada (se quiser também, vai nessa). O que estou dizendo é que em uma viagem muito mais importante do que aparência e boas fotos são os momentos.

Algumas coisas que aprendi com mulheres viajantes

Em uma viagem ao México, conheci duas mulheres incríveis (uma colombiana e uma alemã). São mulheres fortes e que me ensinaram muitas coisas. Em uma conversa, a colombiana me disse que cortou o cabelo mais curto, pois queria ter liberdade para viajar e não queria perder tempo arrumando o cabelo.

Escutei isso e parei para pensar em quanto tempo eu já perdi nas minhas viagens arrumando meu cabelo. Isso de alguma forma mexeu comigo (obs: cortei o cabelo após minha volta ao Brasil e, menina, realmente é mais fácil de cuidar).

Já a alemã me ensinou algo muito importante também: a gente não precisa levar o guarda-roupa todo em uma viagem. Lembro que estávamos nos despedindo e eu percebi que ela só tinha uma pequena mochila para ficar mais de seis meses na América Central.

Eu estava com uma mala de viagem, uma mochila cargueiro e minha bolsa de ombro. Tudo isso para passar apenas uma semana no México. O desgaste para levar minhas malas foi terrível, mas eu achava que precisava de tudo aquilo.

Desde então venho reduzindo minha bagagem (confesso que está sendo um processo lento). Isso está me proporcionando muito mais liberdade e eliminando o desgaste (minha coluna agradece).

Estas mulheres me ensinaram algo importante sobre autoaceitação, me ensinaram também que simplicidade é o segredo de quem quer ter uma viagem tranquila e sem pressões. É  interessante como estou me libertando de algumas coisas e já vejo resultados.

O que quero dizer com isso é que não, você não precisa estar perfeita o tempo todo em uma viagem. Esteja bem consigo mesma, não seja tão dura com você, apenas relaxa e curta o momento.

Faça um comentário
Sou jornalista de formação e conto com passagens por diversos veículos de imprensa. No entanto, foi como repórter de turismo que encontrei minha paixão. Sou feminista e em 2015 decidi juntar jornalismo, viagem e empoderamento feminino para criar o portal M pelo Mundo.

Leia também:

Aviso

A reprodução total ou parcial do conteúdo publicado no M pelo Mundo, sem a autorização do site, é proibida pela Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.